sábado, 31 de outubro de 2009

EU POSSO...

(autoria desconhecida)

Mesmo que o mundo caia e sobre nós exploda destruindo o que é nosso,
EU POSSO!
Mesmo que eu desabe e nada mais me sobre senão ver tudo em destroços,
EU POSSO!
Mesmo que abismos medonhos enterrem todos os meus sonhos nas profundezas de um fosso,
EU POSSO!
Mesmo que todas as pessoas neguem minhas coisas boas,
EU POSSO!
Nem por isso eu me alvoroço,
EU POSSO!
Mesmo que a fome do mundo caia em mim neste segundo, ainda assim hoje eu almoço,
EU POSSO!
Mesmo que a minha doença seja grave, pelo poder do Pai Nosso,
EU POSSO!
Mesmo que um grande fracasso queira barrar o meu passo, eu não paro e não acosso,
EU POSSO!
Mesmo que eu seja uma vencida e muito cedo envelheça, eu subo, eu consigo, eu remoço,
EU POSSO!
Eu posso renascer agora, eu posso refazer a aurora...
Eu posso iluminar o meu caminho, eu posso dar a mão ao meu vizinho...
Eu posso encher de amor o coração e fazer desta vida uma canção...
Eu posso- e sei que eu preciso - fazer da vida um paraíso...
Eu posso - é a força da energia que explode em mim e se irradia...
Eu posso-- é a oração da Divindade que produz em mim a realidade...
Eu posso erguer os olhos para o céu e ver tudo branco como o véu...
Eu posso reconstruir a minha casa, eu posso ver tudo que me apraza...
Eu posso renovar a minha saúde, pois na vida não há nada que não mude...
Eu posso - é a oração bendita da força infinita...
Eu posso perdoar meu inimigo porque vem a mim tudo o que eu bendigo...
Eu posso fazer da vida uma festa por todo o tempo que me resta...
EU POSSO! EU POSSO! EU POSSO!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O amor em movimento - Mensagem da reunião de terça feira...

"Não deixe que a vida escorra entre os dedos por viverem no passado ou no futuro. Se viver uma dia de cada vez, viverá todos os dias de sua vida."

sábado, 24 de outubro de 2009

Arquitetura pelo mundo - As pirâmides do Egito...

Pirâmides de Quéops, Quéfrem e Miquerinos...














As pirâmides são sem dúvidas o paradigma da arquitetura egípcia. Suas técnicas de construção continuam sendo objeto de estudo para engenheiros e historiadores. A pirâmide foi criada durante a dinastia III, pelo arquiteto Imhotep, e essa magnífica obra lhe valeu a divinização. No início as tumbas egípcias tinham a forma de pequenas caixas; eram feitas de barro, recebendo o nome de mastabas (banco). Foi desse arquiteto a idéia de superpor as mastabas, dando-lhes a forma de pirâmide. Mastabas portanto, eram edificações que se sobressaiam da terra, nas tumbas egípcias, e eram formadas por um módulo compacto de pedras ou tijolos, tendo as paredes inclinadas e de forma retangular.

Pirâmide escalonada de Djeser...










A pirâmide escalonada de Djeser, idealizada pelo arquiteto e médico Imhotep, é a primeira estrutura desse tipo. Construída com pedra em vez de adobe, veio a ser a novidade que deixou para trás a tradicional mastaba, muito mais simples na forma. Também se deve a Imhotep a substituição do barro pela pedra, o que sem dúvida era mais apropriado, tendo em vista a conservação do corpo do morto.
As primeiras pirâmides foram as do rei Djeser, e elas eram escalonadas. As pirâmides mais célebres do mundo pertencem à dinastia IV e se encontram em Gizé: Quéops, Quéfren e Miquerinos, cujas faces são completamente lisas. A regularidade de certas pirâmides deve-xe aparentemente à utlização de um número áureo, que muito poucos arquitetos conheciam.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

O amor em movimento - Mensagem da reunião de quinta feira...

"Não são as circunstâncias que se fazem responsáveis pelo bom ou mal humor do indivíduo, mas a forma pessoal como ele as encara."

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Pocket Show de lançamento do cd "O Som do Sol" - Cláudio Faria...

O cantor e compositor mineiro Cláudio Faria, apresentará, no dia 28 de outubro, às 19h00, na FNAC Barra - Rio de Janeiro, o show que marca a estréia do CD, O som do sol, primeiro disco solo do artista.

O disco, lançado recentemente pelo selo Trilhos.arte, do Flávio Venturini, tem distribuição nacional da Som Livre.

Unindo o clássico ao contemporâneo, O som do sol sintetiza referências urbanas, clube da esquina, bossa nova, a música erudita e o melhor da música instrumental. Cláudio Faria nos apresenta canções com letras inspiradas, harmonias sofisticadas e arranjos elaborados

No show, além de suas canções, Cláudio canta um pouco das suas referências musicais.

Depois de anos convivendo com diversos talentos da música brasileira - já trabalhou ao lado de artistas como Beto Guedes, Flávio Venturini, Leila Pinheiro, Lô Borges, dentre outro, a história não poderia ser outra: O som do sol é um disco que segue seu destino, tanto de “seduzir constelações” quanto o mais exigente dos ouvintes.

Vale a pena conferir.

Pocket Show de lançamento do cd "O Som do Sol" - Cláudio Faria
FNAC Barra - Barra Shopping - Rio de Janeiro/RJ
28 de outubro às 19 hs
Entrada gratuita

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

O amor em movimento - Mensagem da reunião de terça feira...

"Para alcançar seus objetivos, haja com regularidade, de alma voltada para sua meta.
Prossiga e caminhe a diante, com a melhoria de você mesmo."

sábado, 17 de outubro de 2009

Bernardo Paz prevê fundo e doações de obras para museu de Inhotim...

Li essa matéria do MARCOS AUGUSTO GONÇALVES no Ilustrada da Folha e resolvi publicar no meu blog...

Empresário quer aprofundar dimensão pública da maior instituição de arte contemporânea do país.

Museu mineiro ao ar livre recebeu, no último fim de semana, artistas, curadores e galeristas para inaugurar novas obras e pavilhões.


No fim de semana passado, o Instituto Cultural Inhotim recebeu uma romaria de ilustres representantes do circuito de arte contemporânea. Centenas de convidados, entre os quais alguns dos mais prestigiados artistas, curadores e galeristas do mundo, desfilaram pelos jardins do luxuriante museu ao ar livre para presenciar a inauguração de nove instalações.
Foram recebidos pelo empresário Bernardo Paz, que concebeu e criou a instituição, plantada numa antiga fazenda em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte. Para júbilo do anfitrião, o fim de semana artístico foi precedido por uma boquiaberta reportagem da revista "Travel", do "New York Times", que chamava Inhotim de "nova maravilha do mundo".
Paz, 59, milionário do setor de mineração e siderurgia, começou a ganhar projeção no meio das artes no início dos anos 2000, quando se tornou um comprador agressivo de obras, com vistas a criar seu inusitado museu.
A ideia ganhou corpo depois que ele, em 1995, aos 45 anos, sofreu um derrame, em Paris -escala de uma de suas incontáveis viagens de negócios à China. "Eu realmente vi que as pessoas morrem e fiquei com a sensação clara de que aquele não era mais meu caminho."
Alguns anos depois, já não tinha dúvidas sobre abrir uma coleção de arte para o público nos jardins que construía em Inhotim -propriedade comprada em 1984. Foi o artista Tunga quem o incentivou a investir em arte contemporânea. "Ele dizia que a arte moderna estava virando enfeite na parede e que a arte contemporânea tinha vindo para ficar."
Paz percebeu que os 40 hectares de Inhotim eram propícios a abrigar grandes instalações em meio à natureza -um tipo de obra que poderia ser adquirida a preços atraentes, por ser de difícil comercialização. "Naquela época eu ainda não sabia se ia conseguir", diz.
Conseguiu, mas não sem enfrentar percalços e suspeitas. Festejado por muitos como um desprendido benfeitor das artes, mas visto por alguns como um excêntrico desmedido, ele despertou desconfianças quando, em meio a dificuldades, decidiu vender boa parte do seu acervo com a mesma agressividade com que comprara.
"Vendi para continuar construindo o museu", justificou-se em entrevista à Folha, concedida em sua casa, em Inhotim. "E depois recomprei muita coisa." Há quem diga que ele aceitou preços menores do que os que havia pago. Ele relativiza: "Quando o objetivo é maior, qualquer coisa que se diga é menor do que o objetivo. Não me preocupa o que disseram, mas o que Inhotim representa hoje para o Brasil".

Doação

O mais importante centro de arte contemporânea do país -e um dos melhores do mundo- vem passando por um processo de formalização institucional. Já há seis anos, a direção artística está nas mãos de um trio de curadores formado pelo americano Allan Schwartzman, pelo alemão Jochen Volz (também cocurador da Bienal de Veneza) e pelo mineiro Rodrigo Moura.
Os próximos passos vão na direção de aprofundar a dimensão pública do museu e de criar condições para que se sustente ao longo do tempo. Estão em curso estudos para um "endowment" (fundo de manutenção) e para transformar Inhotim em organização social de interesse público. Em breve, dez obras do colecionador serão doadas ao instituto, que nos últimos 12 meses atraiu 211 mil visitantes -sendo 38 mil estudantes.
Hoje, a manutenção de Inhotim beira os R$ 20 milhões por ano, valor basicamente coberto, segundo o empresário, por recursos provenientes de seus negócios. Captações por lei de incentivo representam 5%. Para se ter um parâmetro, a Pinacoteca de SP, ressalvando-se as diferenças, tem um custo anual semelhante.
Paz diz que "há muitos gênios nos botequins" e que o importante é a persistência -característica que experimenta com tormento: "É um sofrimento que não me deixa dormir. A felicidade é minha família. O resto é angústia, ansiedade e inquietude".

BARNEY E CURADORA DA TATE FORAM LÁ

O norte-americano Matthew Barney chegou sem a mulher Björk para o show de Arto Lindsay, parceiro em "De Lama Lamina". Entre outros nomes, Inhotim recebeu curadores como Julieta González, da Tate Modern, Daniel Birnbaum, da Bienal de Veneza, e o diretor da Pinacoteca do Estado, Marcelo Araujo
"Eu tinha de provar alguma coisa a meu pai"

A seguir, declarações do empresário Bernardo Paz sobre temas levantados na entrevista que concedeu à Folha.

PAI E MÃE
Não podemos falar sobre nós mesmos sem voltarmos aos nossos antepassados, ao nosso DNA. Sou filho de um engenheiro que me ninou até os sete anos de idade com o Hino Nacional, da Bandeira, da Independência e de escoteiros...
Meu avô foi o general Manoel Paz, lugar-tenente do marechal Rondon, homem fundamental para fixar as fronteiras do país. Isso explica o patriotismo de meu pai. Já minha mãe era uma pessoa mais frágil, sensível, poeta, que também pintava. Dela eu herdei o gosto pela agudez da beleza.
Uma pessoa criada por esses dois polos antagônicos perde a noção de uma vida cartesiana. Eu fui transformado numa pessoa extremamente inquieta e ansiosa. A ponto de chegar aos 18 anos de idade em desespero. Eu não entendia como poderia ser alguém na vida, dentro das expectativas que foram criadas na minha cabeça. E é claro que isso te obriga a avançar sinais, a subir montanhas com mais rapidez, sem se aperceber que é uma coisa fora do normal.

CASAMENTO
Estou no quinto casamento. O primeiro foi em 1973. Fomos passar a lua de mel em Acapulco e nos puseram num hotel horrível. Peguei um jipe e fui procurar outro lugar. De repente, passei por um muro grande com luzes atrás. Parei, subi no jipe e vi, por cima do muro, um grande jardim, que era a coisa mais linda do mundo. Tinha uma orquestra e gente dançando. Aquele era o mundo que eu queria para todas as pessoas. Era o Acapulco Princess, que estava sendo inaugurado.

ESTILO
Eu nunca me preocupei com isso, sempre usei cabelo grande, desde os 16 anos. Meu estilo veio de um desligamento total... Ou pode ter sido alguma coisa da minha geração. Eu assisti ao festival de Woodstock e achei aquele movimento fantástico.
Eu era um rapaz muito bonito. Mas tinha vergonha da minha beleza. Havia um ditado de que pessoas bonitas não precisavam fazer muito esforço, em especial para conquistar pessoas do outro sexo. E que pessoas bonitas são burras...
Eu me via, então, não como um homem bonito mas como alguém inferior, que tinha de provar que era uma pessoa normal. Essa luta foi tão avassaladora que eu constituí 39 empresas e coloquei 9 mil pessoas para trabalhar. Fui um pioneiro em fazer negócios com a China e viajei pelo mundo todo.
Tinha que provar alguma coisa, provavelmente para meu pai. Mas isso passou com o tempo. Perdi a inibição, comecei a ter facilidade de locomoção nos países aonde ia, era admirado pelas pessoas e me transformei numa pessoa treinada.

EFICIENTE
Eu fui trabalhar com 15 anos de idade num posto de gasolina, depois numa butique de roupa, depois na Bolsa de Valores. Em todos esses lugares fui extremamente eficiente.
Cresci depressa como industrial, tornei-me um dos maiores do Brasil no final dos anos 70 e início dos 80, na área de minério. Mas enfrentei muitas dificuldades com todos esses planos que valorizaram o câmbio para segurar a inflação. Isso é uma tragédia para a economia do país e para quem exporta.

FUTURO
Inhotim não é uma coisa para ficar pronta, eu nunca vou ver isso ficar pronto, é uma das tristezas que eu tenho na vida. Isso aqui não tem fim.

POR QUE INHOTIM?
Lembra-se do jardim de Acapulco? Da beleza? Dos hinos? Da glória? Tudo para mim tinha que ter um sentido. .

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

ONDE VOCÊ COLOCA O SAL?

O velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo de água e bebesse.
-Qual é o gosto? - perguntou o Mestre.
-Ruim. - disse o aprendiz.
O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.
Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago. Então o velho disse:
-Beba um pouco dessa água. Enquanto a água escorria do queixo do jovem, o Mestre perguntou:
-Qual é o gosto?
-Bom! - disse o rapaz.
-Você sente o gosto do sal? - perguntou o Mestre.
-Não. - disse o jovem.
O Mestre então sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:
-A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta. É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu. Em outras palavras:
É deixar de ser copo, para tornar-se um lago.

"Entender a vontade de Deus nem sempre é facil, mas crer que ele está no comando e tem um plano pra nossa vida, faz a caminhada valer a pena".

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

domingo, 11 de outubro de 2009

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Cozinha - Rubem Alves
















"Qual é o lugar mais importante da sua casa? Eu acho que essa é uma boa pergunta para início de uma sessão de psicanálise. Porque quando a gente revela qual é o lugar mais importante da casa, a gente revela também o lugar preferido da alma. Nas Minas Gerais onde nasci o lugar mais importante era a cozinha. Não era o mais chique e nem o mais arrumado. Lugar chique e arrumado era a sala de visitas, com bibelôs, retratos ovais nas paredes, espelhos e tapetes no chão. Na sala de visitas as crianças se comportavam bem, era só sorrisos e todos usavam máscaras. Na cozinha era diferente: a gente era a gente mesmo, fogo, fome e alegria."

"Nas casas de Minas a cozinha ficava no fim da casa. Ficava no fim não por ser menos importante mas para ser protegida da presença de intrusos. Cozinha era intimidade. E também para ficar mais próxima do outro lugar de sonhos, a horta-jardim. Pois os jardins ficavam atrás. Lá estavam os manacás, o jasmim do imperador, as jabuticabeiras, laranjeiras e hortaliças. Era fácil sair da cozinha para colher xuxús, quiabo, abobrinhas, salsa, cebolinha, tomatinhos vermelhos, hortelã e, nas noites frias, folhas de laranjeira para fazer chá."

"Se eu fosse arquiteto minhas casas seriam planejadas em torno da cozinha. Das coisas boas que encontrei nos Estados Unidos nos tempos em que lá vivi estava o jeito de fazer as casas: a sala de estar, a sala de jantar, os livros, a escrivaninha, o aparelho de som, o jardim, todos integrados num enorme espaço integrado na cozinha. Todos podiam participar do ritual de cozinhar, enquanto ouviam música e conversavam. O ato de cozinhar, assim, era parte da convivência de família e amigos, e não apenas o ato de comer."

Fonte: Internet.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Arquitetura pelo mundo - Buenos Aires

Buenos Aires é uma megalópolis com cerca de 12 milhões de habitantes, é uma cidade charmosa, plana e bem organizada. Sua arquitetura lembra Paris e Madrid, onde o antigo e o moderno se misturam. Na parte central estão localizados os bairros mais típicos, como San Telmo, La Boca, Recoleta e Palermo, museus, livrarias, parques, o Teatro Colon, bares, restaurantes, as famosas confeitarias com sua arquitetura art nouveau. As pessoas vestem-se com elegancia europeia.A vida noturna, a noite "portenã", é animada, as danceterias, lotadas às 3h da madrugada, fecham às 7 horas. É uma das maiores cidades do mundo e consegue resumir de alguma forma a variada e heterogenêa essência do argentino.
Cidade com moderna estrutura e dinâmica atividade, soube conservar suas velhas tradições e lugares mais íntimos. Nos sentimos fascinados pelo seu ambiente, a diferente personalidade de cada um de seus bairros, e suas enormes possibilidades culturais e comerciais.
Ir a Buenos Aires e não conhecer uma casa de tango é como ir a Paris e não visitar seus cafés.

Abaixo algumas dicas de passeios :

Bairro da Recoleta - Lembra uma parte de Paris, por causa de seu jeito europeu. Na fundação de Buenos Aires, os padres franciscanos construiram aí um convento. Bairro elegante, tem inúmeros cafés, mesas com guarda-sóis na calçada, antiquários e muito agito.

La Boca - Primeiro bairro dos italianos, imigrantes genoveses que preferiram ficar perto do porto. Casas coloridas, o Estádio da Bombonera (sede do Boca Juniors) . Sua principal atração é o Caminito, que inspirou o tango que imortalizou Carlos Gardel.

San Telmo - antigo bairro boemio. Aos domingos,é famosa sua feira de antiguidades, com muito tango nas ruas.

Avenida Corrientes - Grande atividade noturna, combares abertos a noite inteira.

Calle Florida - maior centro comercial, com lojas de roupas, livrarias e confeitarias.

Teatro Colón - Prédio em estilo néo-clássico de 1908, de acústica excepcional, tem capacidade para 3.200 pessoas. A temporada artística vai de abril a novembro.

Puerto Madero - conjunto de antigos armazéns no Rio da Prata,transformados em lojas, escritórios e num grande centro de gastronomia, com cerca de 1km de restaurantes.

Bosques de Palermo - é o maior da cidade, com belissimos monumentos e cerca de 300 hectares de área verde. Nos parques pode-se observar os " Passeadores de cachorros", que chegam a levar cerca de 12 cachorros por vez.

Fonte: Internet.





quarta-feira, 7 de outubro de 2009

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

meu aniversário...










Hoje comemoro o meu aniversário do jeito que eu mais gosto: com a minha mulher, minha família, com os amigos e a certeza que viver só vale a pena se for por e com amor.
E como um dia a minha mulher postou em seu blog uma letra de uma música que a nossa amiga Leila Pinheiro canta, eu vou dizer que o segredo de se viver bem e chegar aos setenta anos realizado, feliz e ainda querendo aprender e viver muito mais, seja viver exatamente como diz a música: "a gente leva da vida amor, a vida que a gente leva..."

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

O amor em movimento - mensagem da reunião de quinta-feira...

"No mar da vida há ondas fortes.
Não se deixe afundar, porque quando elas passam, tudo se ilumina, tudo se transforma!
Aprenda as lições que a vida te mostra."

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Arquitetura pelo mundo - Madri

Madri é a síntese entre a modernidade e a história. Por todos os cantos, a arquitetura revela toda a elegância e imponência que consagrou o Império Espanhol ao longo dos séculos. Edifícios esplendorosos, praças e monumentos exuberantes dividem espaço com uma cidade moderna, que pode ser percorrida quase que totalmente de metrô.
À noite, Madri é ainda mais especial. A cidade toda iluminada é um convite para embarcar na vida noturna mais animada da Europa.