segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

O ARRAIAL DO CURRAL D’EL REI...










Ao iniciar o século XVIII, a questão do abastecimento dos gêneros alimentícios na região das minas é extremamente grave.
O ano de 1701 é conhecido na história de Minas Gerais como o ano da fome.
O bandeirante João Leite da Silva Ortiz, contrariando os anseios de todos os companheiros, não se deixou seduzir pelo ouro, pois, quando chegou à região onde hoje está Belo Horizonte, resolveu dar início, ali, à atividade agrícola, visando o abastecimento dos arraiais que começavam a se estabelecer.
Uma carta de Sesmaria assinada pelo governador Antônio de Albuquerque Coelho e Carvalho, em janeiro de 1711, contemplou João Leite com uma imensa extensão de terras, que hoje totalizaria quase toda a área de Belo Horizonte.
Esta localidade ficou conhecida com o nome de Fazenda do Cercado.
Quando João Leite decidiu partir para Goiás em 1721, a Fazenda do Cercado foi vendida para Antônio Teixeira Pinto.
A partir daí, foram surgindo pequenas propriedades rurais atraídas pela prosperidade da Fazenda do Cercado.
O lugar passa, então, a ser conhecido com o nome de Curral d’El Rei.
No ano de 1750, o local foi elevado à freguesia.
Existem duas versões para o nome Curral d’El Rei.
A primeira diz que havia no local um curral onde o gado era reunido para ser contado e preparado para ser distribuído pela região das minas.
Após ter sido feita a contagem, fazia-se o pagamento de impostos à Coroa Portuguesa. Pela segunda versão, existiu, aqui, um curral de aluguel pertencente a um dos parentes de Tomé Portes d’El Rei.
Após ter passado pelo Registro de Contagem, onde se pagavam os impostos, o gado pernoitava nesse curral.
Durante dois séculos, XVIII e XIX, a vida transcorreu pacata e tranqüila no Curral d’El Rei.
Após a Proclamação da República, o “Club Republicano” do Curral d’El decide mudar o nome do Arraial que se tornara naquele momento impróprio frente à nova ordem política.
Terra Nova, Santa Cruz, Nova Floresta, Cruzeiro do Sul, Belo Horizonte e Novo Horizonte foram os nomes sugeridos.
O nome votado foi o de Novo Horizonte, que havia sido proposto pelo Juiz de Paz e presidente do “Club Republicano”, José Carlos Vaz de Melo.
Ele foi à Ouro Preto para fazer o pedido ao Governador João Pinheiro, que, em um primeiro momento, relutou na troca do nome alegando dificuldades administrativas. Devido à insistência do Coronel Vaz de Melo, João Pinheiro concordou em mudar o nome, mas achou inexpressivo o nome proposto.
Quando foram apresentados os outros nomes da lista, o governador escolheu o nome Belo Horizonte.
No dia 12 de abril de 1890, foi assinado o decreto nº 36.

“O doutor governador do Estado de Minas Gerais resolve determinar que a freguesia do Curral D’el Rei, município de Sabará, passe a denominar-se d’ora em diante Belo Horizonte, conforme foi requerido pelos habitantes da mesma freguesia.
Neste sentido expeçam-se as necessárias comunicações.
Palácio, Ouro Preto, 12 de abril de 1890.
João Pinheiro da Silva.”

Fonte: Internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário