terça-feira, 29 de junho de 2010

O amor em movimento...

Lei da Atração Espiritual

Você atrai certas pessoas ou situações, porque elas refletem seus pensamentos, emoções e crenças.
Da mesma forma, pessoas e situações que você encontrou e achou “desejáveis”, agora se deslocam e estão saindo de sua vida, pois você mudou a sua energia, através de seu caminho espiritual.
“Semelhante atrai semelhante”, significa que todos e tudo que desenha na sua vida, são semelhantes a seu padrão de pensamento.
Se você pretende alterar os programas do que ou quem você atrai, mantenha pensamentos mais positivos, pensamentos de amor e alegria.
Os mestres Ascensionados e os Anjos, podem ajudar nessa mudança.
Você pode curar ou mudar qualquer situação, elevando seus pensamentos a um nível mais positivo.
Suas orações e afirmações atrairão pessoas e oportunidades maravilhosas para sua vida.
Circunstâncias não são um castigo ou uma recompensa – você as atraiu! – o que significa que você também pode repeli-las ou ampliá-las, como escolha.
Visualize e afirme apenas o que deseja!
Seja feliz!

“Do oráculo do Mestres Ascensionados”, de Doreen Virtue - Casa do Richard – junho de 2010.

sábado, 26 de junho de 2010

Leila Pinheiro - "meu segredo mais sincero"...





















Leila Pinheiro mergulha no universo de Renato Russo e retira daí o que o astro da Legião Urbana chamou de “meu segredo mais sincero”.
É pelo modo de entoar a melodia e conceber o arranjo instrumental que a cantora revela os conteúdos e as emoções às vezes apenas sugeridos nos versos do compositor.
São quinze músicas com a marca de Renato Russo, muitas delas escritas em parceria com Dado Villa-Lobos, Marcelo Bonfá, Ico Ouro Preto ou Renato Rocha.
Leila idealizou e produziu esse novo disco com a colaboração essencial de Cláudio Faria e as intervenções decisivas de Alê Siqueira e Márcio Reis Werderits.
Em algumas faixas, ganhou de presente os solos de guitarra do próprio Dado Villa-Lobos e de Herbert Vianna, artistas que, juntamente com Renato, fizeram do rock a fonte das melhores canções surgidas no país nas décadas de 1980 e 1990.
As reinterpretações de Leila valorizam o que Renato Russo sabia fazer como ninguém: exprimir nos encontros e desencontros das relações pessoais (eu-você) quase todos os conflitos e desafios da sua geração.
A cantora modula o volume do seu canto para atingir climas de intimidade e, em outros momentos, manifestar as dores da carência ou da separação sempre presentes nas frases do grande letrista.
Esses recursos são empregados com maestria em músicas como a famosa “Ainda é Cedo” e explorado com intensidade passional em “Teatro dos Vampiros” e, sobretudo, “Eu Sei”, canção que expõe toda a força da intérprete acompanhada apenas pelo próprio piano.
Mas as dificuldades na relação eu-você também reaparecem na letra de “Quando Você Voltar”, composição pouco conhecida do trio Russo/Villa-Lobos/Bonfá que, além do piano, conta com verdadeiros comentários melódicos tecidos pela guitarra de Herbert Vianna.
Como Renato, Herbert viveu em Brasília e se projetou na era do rock brasileiro dos anos 80.
Falam bem a mesma língua.
O nome do disco, Meu Segredo Mais Sincero, é retirado da canção “Daniel na Cova dos Leões” (Renato Russo/Renato Rocha), cuja força expressiva vem tanto da voz da intérprete quanto da guitarra de Dado Villa-Lobos.
A composição “Hoje”, registrada pela primeira vez no CD Nos Horizontes do Mundo, é a única parceria de Leila Pinheiro com Renato Russo.
Talvez essa música, com sua ênfase no refrão “Acho que a gente é que é feliz”, tenha sido o embrião de toda a proposta do disco.
Ela é de 1993, quando o letrista já doente ainda acalentava o desejo de estender a vida por “muito tempo”.
É Leila quem o ajuda no projeto com mais essa gravação.
“Indios” é uma faixa impressionante já pelo próprio tema da composição.
Em vez da célebre utopia de John Lennon, em “Imagine”, Renato Russo lança desejos precisos, introduzidos pelo verso-refrão “Quem me dera ao menos uma vez”.
As soluções musicais programadas por Cláudio Faria e pelos violões de aço de Webster Santos valorizam esse gesto inicial do autor.
Mas a música atinge o ápice de sua energia estética quando o produtor Alê Siqueira adiciona ao arranjo um comovente Coro Infantil dos Índios Guarani que aumenta em todos os sentidos a profundidade da canção, como se os desejos expressos na letra já tivessem sido realizados.
Sob a influência dessa sonoridade, não há como não acreditar em tudo que Leila diz.
Outra faixa que lava a alma é “Pais e Filhos”, só com voz, piano e violões de aço.
Essa composição faz ressoar uma espécie de manifesto lançado pela banda Legião Urbana e sintetizado na frase “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã”.
Ao mesmo tempo, exibe uma das passagens mais pungentes da música brasileira: “Você culpa seus pais por tudo / E isso é absurdo / São crianças como você”.
Não é de hoje que Leila acompanha a trajetória de Renato Russo.
“Tempo Perdido”, que reaparece aqui numa versão sustentada pelas programações eletrônicas e teclados de Cláudio Faria e pelas guitarras de Webster Santos, já fizera parte do seu terceiro vinil (Alma), lançado em 1988, quando ambos, compositor e intérprete, eram “tão jovens”.
Nessa ocasião, a cantora teve um encontro histórico com o compositor para lhe mostrar, sozinha ao piano, a execução de “Tempo Perdido”.
Renato achou que sua “musiquinha” havia se tornado grandiosa na voz da intérprete.
Felizmente tudo isso foi documentado em fotos (de Ana Regina Nogueira), providencialmente integradas ao projeto gráfico deste novo CD.
Leila confessa que não pretendia regravar essa canção (já regravada em Nos Horizontes do Mundo ao vivo), mas foi irresistível: quando se deu conta, sua voz guia já estava incorporada ao belo arranjo de Cláudio Faria e não dava mais para abrir mão do registro.
Meu Segredo Mais Sincero, o disco, ainda deixa aos ouvintes um brinde e um achado.
O brinde é uma curiosa gravação de “La Solitudine”, canção italiana bastante popular, na qual Leila faz dueto póstumo com Renato.
É no mínimo emocionante, e não só para a cantora.
O achado é um refrão extraído de uma longa letra do compositor.
Leila canta a cappella, em forma de vinheta, o trechinho que diz “que o que vem é perfeição”.
O que vem e o que já foi ouvido no disco, pois “Perfeição” é sua última faixa.

Luiz Tatit

Saiba mais e adquira já o seu...

Ficha Técnica

Idealizado e produzido por LEILA PINHEIRO
Co-produção e arranjos: Cláudio Faria
Coordenação de produção e produção executiva: Flávia Souza Lima
Assistente de produção e assistente Leila: Cristiane Jacques
Produção Biscoito Fino: Ítalo Amaral
Edições iniciais: Leila Pinheiro / Cláudio Faria / Márcio Reis Werderits
Edições finais e toques luminosos: Alê Siqueira
Gravado no LP Estúdio por Marcio Reis Werderits
Programações, samplers e teclados Cláudio Faria: gravados por Cláudio Faria no Estúdio Na sala
Guitarra Dado Villa-Lobos: gravada por Dado Villa-Lobos no Estúdio Lobo Mao
Guitarra Herbert Vianna: gravada por Alexandre Rabaço no Play Rec Studios
Bateria faixas 06,07,10 e 11: gravadas por Alex Moreira no Zaga Estúdio
Mixagem: Carlos “Cacá” Lima – YB Studio (SP)
Masterização: Diego Techera - YB Studio (SP)

Projeto gráfico: GuiliSeara Design, Diretor de criação: Guili Seara, Designer: Yannick Falisse
Fotos Leila e Renato Russo: Ana Regina Nogueira / © todos os direitos reservados
Foto Leila e Herbert Vianna / Leila e Dado Villa Lobos: Washington Possato
Foto Leila e Marcelo Bonfá: Alexandre Moreira
Foto Leila e Renato Russo (capa encarte): arquivo pessoal Leila Pinheiro / autor desconhecido
Fotos páginas 13, 31, 36: Marcel Gautherot /Acervo Instituto Moreira Salles / © todos os direitos reservados
Foto página 4: Augusto Malta / Acervo Instituto Moreira Salles / © todos os direitos reservados
Fotos / detalhes: GuiliSeara Design
Faixa 14 publicada sob licença de EMI Music
Coro infantil Índios Guarani (base / faixa 03): citação da composição "Gwyra Mi ", de Timóteo Verá Popyguá, Tribo Tenondé Porã, Aldeia Morro da Saudade - Parelheiros/ SP.
Após várias tentativas sem sucesso de localizar o autor da obra, solicitamos ao responsável que entre em contato com a produção deste CD.

Agenciamento Leila Pinheiro: Tacacá Musiccontato@tacacamusic.com.br / contrateshow@leilapinheiro.com.br
+ 55. 21. 2537 1348

Fonte: Biscoito Fino

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Arquitetura da África do Sul...

A África do Sul possui uma variada herança arquitetônica, para a qual contribuíram todos os grupos culturais da história do país: abrigos simples e grama utilizados pelo Khoisan; os diferentes tipos de barro e cabanas de grama das pessoas rurais; as habitações planas dos antigos criadores de gado; casas com telhado, cabanas de taipas, substituídas, posteriormente, por tetos com estrutura de sapê com paredes brancas e colunas; a formidável arquitetura das cidades rurais; os estilos atrativos e funcionais de Malay Quarter na Cidade do Cabo; as casas de Cape Dutch e os altos edifícios construídos antes da Segunda Guerra Mundial.

Fonte: www.africadosul.org.br

Galeria de fotos de arquitetura na África do Sul

O Palácio da Cidade Perdida











O Palácio da Cidade Perdida, localizado na África do Sul, encontra-se no patamar de um dos mais extraordinários hotéis do mundo.
O centro das atenções do complexo do magnífico hotel é um palácio residencial digno de contos-de-fadas , construído com inacreditável atenção aos detalhes.
A beleza delicada do interior do palácio, ornamentada por refinados mosaicos, afrescos e pinturas feitas à mão do teto, que reproduzem aspectos da vida selvagem e da cultura da África do Sul, transforma o palácio num lugar mágico e onírico.
É difícil de acreditar que todo esse complexo exuberante esteja localizado numa região remota da África do Sul.
Conta a lenda que o monumento foi construído para um rei por uma civilização antiga do norte da África.
Após ser destruído por um terremoto, ele foi restaurado e hoje é destinado a receber turistas de todo o mundo.
O Palácio da Cidade Perdida é circundado por montanhas e possui 25 hectares de selva botânica, com mais de um milhão de plantas e árvores.
Cachoeiras e lagos complementam a beleza do local.
O Palácio oferece 24 tipos de divertimentos, entre eles: jogos, mostras, vídeos interativos, cinemas, lojas, restaurantes e bares.
O hotel abriga 338 quartos e quatro suítes denominadas Suíte Real, Suíte do Rei, Suíte Africana e a Suíte do Deserto, que além da impressionante hospitalidade, apresentam vistas esplendorosas, além de luxuosíssima decoração.
Aliás, o hotel esbanja luxo.
A escadaria é toda em cristal, o piso, em mosaico, é desenhado com pedras semipreciosas , na Corte do Elefante, encontra-se a escultura de bronze do elefante Shawu , em tamanho natural.
Shawu é um dos sete magníficos elefantes da África do Sul.
Os Sete Magníficos eram os sete elefantes do Parque Nacional Kruger com as maiores presas já vistas.
Colunas de pedra e bambu repousam sobre pés de elefantes, leopardos pintados perscrutam através da folhagem acima das cadeiras cravejadas à mão e das magníficas mesas da Villa del Palazzo .
Tudo a decoração do hotel, assim como sua própria arquitetura, está envolto em magia e sedução.

Fonte: Internet.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

O amor em movimento...

Na Índia são ensinadas as "Quatro Leis da Espiritualidade".

A primeira diz:

"A pessoa que vem é a pessoa certa".

Significando que ninguém entra em nossas vidas por acaso, com todas as pessoas ao nosso redor, interagindo com a gente, há algo para nos fazer aprender e avançar em cada situação.

A segunda lei diz:

"O que aconteceu?
A única coisa que poderia ter acontecido”.

Nada, nada, absolutamente nada que nos acontece em nossas vidas poderiam ter sido de outra forma.
Mesmo o menor detalhe.
Não há nenhum "se eu tivesse feito tal coisa ...,
aconteceu que um outro ...".
Não.
O que aconteceu foi tudo o que poderia ter acontecido, para nós aprendermos a lição e seguirmos em frente.
Todas e cada uma das situações que acontecem em nossas vidas são perfeitas.

A terceira diz:

"Toda vez que você iniciar ou reiniciar é o momento certo".

Tudo começa na hora certa, nem antes nem depois.
Quando estamos prontos para iniciar ou reiniciar algo novo em nossas vidas, é que as coisas acontecem.

E a quarta e última:

"Quando algo termina, termina".

Simplesmente assim.
Se algo acabou em nossas vidas é para a nossa evolução, por isso é melhor sair, ir em frente enriquecendo-se com a
experiência e quem sabe o que acabou vem depois, de uma forma melhor.
Não é por acaso que estamos lendo esse texto, se veio à nossa vida hoje, é porque estamos preparados para entender que nenhum floco de neve cai sempre no lugar errado!

Dica de Vida:

"Ame. Apaixone-se.
Erre.
Erre quantas vezes forem necessárias.
Sorria. Brinque. Chore.
Beije. Morra de amor.
Sinta. Sonhe. Cante. Grite.
Viva!
O FIM nem sempre é o FINAL.
A vida nem sempre é real.
A roda nem sempre é gigante.
O passado nem sempre passou.
O presente nem sempre ficou.
O hoje nem sempre é agora.
E o tempo, o tempo não pára.
Por isso viva cada instante!"

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Curso em BH: Plantas Medicinais e Fitoterapia...



















OBJETIVO:

Apresentar dicas práticas e informações atualizadas sobre plantas medicinais, facilitando a incorporação e/ou o aprimoramento do uso desse recurso terapêutico no dia-a-dia, com grandes benefícios para a saúde.

CONTEÚDOS:

- Definições, panorama atual;
- Noções de plantio agroecológico e compostagem;
- Coleta, secagem e armazenamento de plantas medicinais;
- Extração de princípios ativos das plantas;
- Como os fitoterápicos funcionam em nosso corpo;
- Cuidados no uso de fitoterápicos;
- Pesquisa em fitoterapia;
- Farmácia caseira: algumas plantas úteis no dia-a-dia;
- Manipulação caseira de fitoterápicos: chás infusos e decoctos, tinturas, alcoolaturas e vinhos medicinais;
- Prática: preparo caseiro de tintura e alcoolatura.

PÚBLICO A QUE SE DESTINA:

o curso atende a interessados em geral – terapeutas, estudantes, donas-de-casa, etc.

DATA E HORÁRIO:

10 de julho, de 9:00 às 17:00h.

LOCAL:

Bio Saúde: Av. Francisco Sá, 830 – Prado – Belo Horizonte – MG.

INVESTIMENTO (INCLUI APOSTILA e CERTIFICADO):

Até o dia 2 de junho: R$ 70,00
Depois do dia 2 de junho: R$ 75,00

PROFESSORA:

Ana Cimbleris Alkmim (CRF-MG 16591)

Farmacêutica (UFMG), Mestre em Ciências Farmacêuticas (UFMG) e Especialista em Plantas Medicinais (UFLA). Coordenadora da Farmácia Viva do Instituto Kairós (Nova Lima – MG). Professora de Plantas Medicinais no curso de Formação Intercultural de Educadores Indígenas da UFMG.

INFORMAÇÕES E INCRIÇÕES:

Bio Saúde. 3313-3888
Gato Negro. Ana 8505-6596 / anacimbleris@gmail.com
Parte da renda será revertida para o Gato Negro, para divulgação do veganismo e direitos animais.

Saiba mais...

terça-feira, 22 de junho de 2010

O amor em movimento...

Diante de toda dificuldade e toda prova, abençoe e faça o melhor que possa.

Emmanuel

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Educação do olhar - Rubem Alves

















Educar é mostrar a vida a quem ainda não a viu.
O educador diz: “Veja!” - e, ao falar, aponta.
O aluno olha na direção apontada e vê o que nunca viu.
Seu mundo se expande. Ele fica mais rico interiormente...
E, ficando mais rico interiormente, ele pode sentir mais alegria e dar mais alegria - que é a razão pela qual vivemos.
Já li muitos livros sobre psicologia da educação, sociologia da educação, filosofia da educação – mas, por mais que me esforce, não consigo me lembrar de qualquer referência à educação do olhar ou à importância do olhar na educação, em qualquer deles.
A primeira tarefa da educação é ensinar a ver...
É através dos olhos que as crianças tomam contato com a beleza e o fascínio do mundo...
Os olhos têm de ser educados para que nossa alegria aumente.
A educação se divide em duas partes: educação das habilidades e educação das sensibilidades...
Sem a educação das sensibilidades, todas as habilidades são tolas e sem sentido.
Os conhecimentos nos dão meios para viver.
A sabedoria nos dá razões para viver.
Quero ensinar as crianças. Elas ainda têm olhos encantados.
Seus olhos são dotados daquela qualidade que, para os gregos, era o início do pensamento:...a capacidade de se assombrar diante do banal.
Para as crianças, tudo é espantoso: um ovo, uma minhoca, uma concha de caramujo, o vôo dos urubus, os pulos dos gafanhotos, uma pipa no céu, um pião na terra.
Coisas que os eruditos não vêem.
“Na escola eu aprendi complicadas classificações botânicas, taxonomias, nomes latinos – mas esqueci.
Mas nenhum professor jamais chamou a minha atenção para a beleza de uma árvore...
...ou para o curioso das simetrias das folhas.
Parece que, naquele tempo, as escolas estavam mais preocupadas em fazer com que os alunos decorassem palavras que com a realidade para a qual elas apontam.
As palavras só têm sentido se nos ajudam a ver o mundo melhor.
Aprendemos palavras para melhorar os olhos.
O ato de ver não é coisa natural.
Precisa ser aprendido.
Há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem...
Quando a gente abre os olhos, abrem-se as janelas do corpo, e o mundo aparece refletido dentro da gente.
São as crianças que, sem falar, nos ensinam as razões para viver.
Elas não têm saberes a transmitir.
No entanto, elas sabem o essencial da vida.
Quem não muda sua maneira adulta de ver e sentir e não se torna como criança jamais será sábio.

- Rubem Alves















Rubem Alves – Nasceu em 15 de setembro de 1933, em Boa Esperança, Minas Gerais.
Mestre em Teologia, Doutor em Filosofia, psicanalista e professor emérito da Unicamp. Tem três filhos e cinco netas.
Poeta, cronista do cotidiano, contador de histórias, um dos mais admirados e respeitados intelectuais do Brasil.

As crianças não têm idéias religiosas, mas têm experiências místicas.
Experiência mística não é ver seres de um outro mundo.
É ver este mundo iluminado pela beleza.

-Rubem Alves-

quinta-feira, 17 de junho de 2010

quarta-feira, 16 de junho de 2010

terça-feira, 15 de junho de 2010

O amor em movimento...

"Assuma o controle e seja responsável pela sua própria vida!
Suas escolhas dependem só de você, assim como seus erros e seus acertos."

domingo, 13 de junho de 2010

Anúncios antigos de produtos atuais...

O site Worth1000 lançou um desafio interessante.
Criativos deveriam criar anúncios de produtos atuais, mas com a estéticas dos anúncios antigos.

Vejam alguns dos resultados:


























Fonte: Internet.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Lavras-MG - Vídeo e fotos antigas...

Vídeo de 1947 e várias fotos antigas de Lavras, cidade onde eu nasci.
Não consegui descobrir os autores.
Se alguém souber, por favor me avise para que eu possa dar os devidos créditos...

quinta-feira, 10 de junho de 2010

O amor em movimento...

"A fé é uma conquista difícil, que exige combates diários para ser mantida."
Paulo Coelho

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Reciclagem: vamos praticar?

Mesa de Negócios — 10 de fevereiro de 2010

Diogo Tunes, engenheiro ambiental da Asmare, dá novas orientações.

O programa Mesa de Negócios é o mais antigo de negócios na TV mineira e o terceiro mais antigo do país.
É exibido toda terça-feira ao vivo na TV Horizonte - às 21:00, com cinco reapresentações ao longo da semana.
É editado e apresentado pela jornalista Inácia Soares, especialista em negócios.
Para mais informações, acesso o portal: www.mesadenegocios.com.br

terça-feira, 8 de junho de 2010

O amor em movimento...

“A superação é um processo de constante aprendizado.
Utilize da criatividade e da capacidade de adaptação ao
Novo, para alcançar seus objetivos.”

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Centro Mineiro de Referência em Resíduos apresenta a programação para as oficinas gratuitas de eco artesanato em junho de 2010...

O Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) apresenta a programação para as oficinas de eco artesanato em junho de 2010. Serão oferecidas turmas as terças e quintas-feiras, no período da manhã e tarde.
As oficinas são espaços para ensinar a construção de objetos a partir de materiais reaproveitados e ainda incentivar a mudança de atitudes. Os participantes são sensibilizados para a prática dos 3Rs, Reduzir, Reutilizar e Reciclar.
As aulas são gratuitas e as turmas têm vagas limitadas, com o máximo de 25 alunos por turma e o mínimo de 5 alunos confirmados.
A idade mínima é 14 anos.
Informações e inscrições por meio do telefone (31) 3465-1211.

Em junho, mês em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, as oficinas oferecidas serão:

01/06 – Papel Artesanal (Manhã)

03/06 – Porta Sementes (Tarde)

08/06 – Caixa de Presente (Tarde)

09/06 – Bijuteria com metal (Tarde)

10/06 – Mosaico (Tarde)

15/06 – Flor de Alumínio (Tarde)

17/06 – Cartão com papel artesanal (Tarde)

22/06 – Puff com PET (Tarde)

24/06 – Chaveiro com metal (Tarde)

29/06 – Papel Artesanal (Tarde)

Fonte: Minas Sustentável

domingo, 6 de junho de 2010

Asmare - Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitavel de Belo Horizonte...

A Asmare tem cerca de 380 associados e beneficia, indiretamente, mais de 1500 pessoas.
Além do trabalho de coleta realizados pelos catadores, a Associação desenvolve um trabalho de parceria junto a empresas, escolas, condomínios, órgãos públicos, entre outros, para a coleta de recicláveis.
O material reciclado produzido pelos parceiros é doado à Associação que, deste modo, pode gerar e sustentar postos de trabalho para catadores e ex-moradores de rua.
A organização da produção é acompanhada pelo processo de resgate da auto-estima e da cidadania de uma população historicamente excluída.
A Asmare recolhe por mês cerca de 450 toneladas de lixo contendo papel, papelão, revistas, jornais, latas de alumínio, garrafas PET e plásticos.
Com exceção do vidro e da borracha, recebe quase todos os outros tipos de material. Tudo é separado, prensado e estocado, antes de seguir para a reciclagem.
Nos galpões, parte desse material é utilizado nas oficinas de reciclagem que geram postos de trabalho para 27 pessoas. Todos são ex-moradores de rua.
Além das oficinas, eles também estão inseridos na triagem de materiais.

Um pouco de sua história

Os catadores de papel já fazem parte da realidade de BH há mais de 50 anos.
Sem nenhuma organização, integravam a economia de maneira marginal, eram discriminados e desconheciam o importante papel ambiental que desempenhavam para a preservação do meio ambiente.
Em 87, com o apoio da Pastoral de Rua, iniciam o processo de organização social e produtiva, que permite hoje, a 380 pessoas, acesso à cidadania.
Uma nova história começa a ser escrita.
O lixo, matéria-prima reciclável, torna-se objeto de trabalho e capital da associação que seria fundada em 1990.
Em 1993, a gestão municipal opta, ao implantar a coleta seletiva na cidade, por estabelecer uma parceira com catadores, reconhecendo-os como agentes ambientais prioritários na execução desta política.

Orgulho de Minas: Dona Geralda, autoestima e cidadania

Essa é a receita que Dona Geralda, diretora da Asmare, encontrou para organizar sua vida e ainda ajudar muitas pessoas:

"Num existe lixo.
Tudo que a gente joga fora pode ser usado.
Só vira lixo porque a gente não separa", já explica para começar a conversa Maria das Graças Marçal, de 59 anos, membro da diretoria financeira da Asmare, em Belo Horizonte.
Maria ou Dona Geralda – como prefere ser chamada, “nome de batismo” – é casada há 45 anos, mãe de 9 filhos e catadora de papel desde os 8 anos.
A associação, referência mundial no que faz, atende hoje 230 catadores, ajudando cerca 1,5 mil pessoas.
São quase 500 toneladas de papel por mês.
Dona Geralda foi finalista do prêmio Cláudia de 2009, já foi a Washington dar palestras no Banco Mundial e a Nova York falar na ONU.
“O pessoal fica brincando que foram os meus cinco minutos de fama”, se diverte a catadora de papel que aprendeu a ler aos 40 anos.
“O tema da sustentabilidade está muito forte atualmente.
Sempre cuidei do meio ambiente, mas só fui descobrir isso mais tarde, quando aprendi o que era cidadania.” Saiba mais...

Fonte: Internet.

sábado, 5 de junho de 2010

O Lixo nosso de cada dia...

No dia 05 de junho comemora-se o dia do meio ambiente.
A reciclagem e a sustentabilidade para mim e aqui no blog já é uma realidade, por isso, nada como falar do nosso lixo exatamente hoje...


O lixo brasileiro é considerado um dos mais ricos do mundo e sua reciclagem é fortemente sustentada pela catação informal.

A administração do lixo já é hoje uma das grandes preocupações na organização urbana.
As instituições e entidades ambientalistas têm divulgado números astronômicos sobre o assunto.
No Brasil, cada pessoa gera, em média, um quilo de lixo por dia Por ano, são produzidos 55 trilhões de quilos.
O lixo brasileiro é tido como um dos mais ricos do mundo.
Mas, para Heliana Katia Campos, secretária-executiva do Fórum Nacional Lixo e Cidadania, da Unicef não está sendo dada a devida importância às questões relativas ao saneamento ambiental, em especial à coleta e destinação adequada dos resíduos.
Ela alerta para o fato de que o descarte aleatório dos resíduos em nascentes, córregos, margens de rios e estradas, além de provocar problemas ambientais graves e poluir as águas, que muitas vezes são captadas para consumo, atrai para estes locais um exército de desempregados e famintos, que sobrevivem à custa da cata de resíduos para a sua alimentação e para comercialização.
Katia ressalta ainda que o problema da catação de lixo por seres humanos é "regra geral", de norte a sul do país, tanto em cidades de pequeno porte como nas grandes capitais.
"É uma situação constrangedora e inaceitável, fruto da miséria, do desemprego e da busca desesperada pela sobrevivência".
O programa da Unicef preconiza a necessidade de uma intervenção social voltada ao resgate da cidadania dos trabalhadores que vivem em condições de absoluta pobreza, "sobrevivendo das sobras e dos desperdícios dos mais afortunados".
Como alternativa à catação nos lixões, o Lixo e Cidadania procura incentivar a coleta seletiva, com a participação das famílias dos catadores, propiciando a geração de postos de trabalho e renda para as mesmas. Saiba mais...

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Andaimes começam a ser retirados do Cristo...

Eu postei aqui no Blog sobre a Reforma do Cristo Redentor, um post com fotos incríveis.
Ontem, os andaimes começaram a ser retirados, como podemos ver nessa reportagem da bandnews:

Após quatro meses de obras, o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, voltou a mostrar a cara.
Os andaimes que cobriam o monumento começaram a ser retirados ontem.
Uma festa de reinauguração está marcada para o próximo dia 30.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

O amor em movimento...

O caminho para a realização do propósito de vida, nem sempre é fácil.
Mas se conservamos os olhos abertos para as oportunidades, as portas se abrirão no tempo certo.
Tudo tem a hora de acontecer.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

No Brasil, futebol é religião por Ed Rene Kivitz...

As palavras do Pastor Ed René Kivitz, me lembraram as sábias palavras do escritor Rubem Alves, que me batizou na Igreja Presbiteriana e por quem eu tenho uma imensa admiração.
Parabéns Pastor, pelas sábias e tão necessárias palavras!

No dia 1°/Abr/2010, o elenco do Santos, atual campeão paulista de futebol, foi a uma instituição que abriga trinta e quatro pessoas.
O objetivo era distribuir ovos de Páscoa para crianças e adolescentes, a maioria com paralisia cerebral.
Ocorreu que boa parte dos atletas não saiu do ônibus que os levou.
Entre estes, Robinho (26a), Neymar (18a), Ganso (21a), Fábio Costa (32a), Durval (29a), Léo(24a), Marquinhos (28a) e André (19a), todos ídolos super-aguardados.
O motivo teria sido religioso: a instituição era o "Lar Espírita Mensageiros da Luz", de Santos-SP, cujo lema é "Assistência à Paralisia Cerebral".
Visivelmente constrangido, o técnico Dorival Jr. tentou convencer o grupo a participar da ação de caridade.
Posteriormente, o Santos informou que os jogadores não entraram no local simplesmente porque não quiseram.
Dentro da instituição, os outros jogadores participaram da doação dos 600 ovos, entre eles, Felipe (22a), Edu Dracena (29a), Arouca (23a), Pará (24a) e Wesley (22a), que conversaram e brincaram com as crianças.
Eis que o escritor, conferencista e Pastor (com P maiúsculo) ED RENÉ KIVITZ, da Igreja Batista de Água Branca (São Paulo), fez uma análise profunda sobre o ocorrido e escreveu o texto "No Brasil, futebol é religião"...


Os meninos da Vila pisaram na bola.
Mas prefiro sair em sua defesa.
Eles não erraram sozinhos.
Fizeram a cabeça deles.
O mundo religioso é mestre em fazer a cabeça dos outros.
Por isso cada vez mais me convenço que o Cristianismo implica a superação da religião, e cada vez mais me dedico a pensar nas categorias da espiritualidade, em detrimento das categorias da religião.
A religião está baseada nos ritos, dogmas e credos, tabus e códigos morais de cada tradição de fé.
A espiritualidade está fundamentada nos conteúdos universais Bíblia e de cada uma das tradições de fé.
Quando você começa a discutir quem vai para céu e quem vai para o inferno, ou se Deus é a favor ou contra à prática do homossexualismo, ou mesmo se você tem que subir uma escada de joelhos ou dar o dízimo na igreja para alcançar o favor de Deus, você está discutindo religião.
Quando você começa a discutir se o correto é a reencarnação ou a ressurreição, a teoria de Darwin ou a narrativa do Gênesis, e se o livro certo é a Bíblia ou o Corão, você está discutindo religião.
Quando você fica perguntando se a instituição social é espírita kardecista, evangélica, ou católica, você está discutindo religião.
O problema é que toda vez que você discute religião você afasta as pessoas umas das outras, promove o sectarismo e a intolerância.
A religião coloca de um lado os adoradores de Allá, de outro os adoradores de Yahweh, e de outro os adoradores de Jesus.
Isso sem falar nos adoradores de Shiva, de Krishna e devotos do Buda, e por aí vai.
E cada grupo de adoradores deseja a extinção dos outros, ou pela conversão à sua religião, o que faz com que os outros deixem de existir enquanto outros e se tornem iguais a nós, ou pelo extermínio através do assassinato em nome de Deus, ou melhor, em nome de um deus, com d minúsculo, isto é, um ídolo que pretende se passar por Deus.
Mas quando você concentra sua atenção e ação, sua práxis, em valores como reconciliação, perdão, misericórdia, compaixão, solidariedade, amor e caridade, você está no horizonte da espiritualidade, comum a todas as tradições religiosas.
E quando você está com o coração cheio de espiritualidade, e não de religião, você promove a justiça e a paz.
Os valores espirituais agregam pessoas, aproxima os diferentes, fazem com que os discordantes no mundo das crenças se dêem as mãos no mundo da busca de superação do sofrimento humano, que a todos nós humilha e iguala, independentemente de raça, gênero, e inclusive religião.
Em síntese, quando você vive no mundo da religião, você fica no ônibus.
Quando você vive no mundo da espiritualidade que a sua religião ensina – ou pelo menos deveria ensinar, você desce do ônibus e dá um ovo de páscoa para uma criança que sofre a tragédia e miséria de uma paralisia mental.

terça-feira, 1 de junho de 2010

O amor em movimento...

Quantos são os caminhos para encontrar Deus? De quantas estradas é feito o nosso trilhar para entender as coisas de Deus? Quais são os caminhares que nos levam a Deus?
Não houve na História da Humanidade cultura alguma que não tivesse nos seus valores o entendimento de Deus.
As formas de interpretação da Divindade variaram às centenas, porém, nenhum povo houve que negasse a existência de uma força maior a comandar os desígnios do Universo.
Assim, crer na existência de Deus transcende o aspecto cultural e se insere na essência do sentimento humano de que existe um Criador a gerar a vida, do macro ao microcosmo.
E, ao longo da História, vários foram os ensaios para se explicar e entender Deus.
Seja o deus castigo e vingança das civilizações antigas, ou o deus concebido em forma humana, como nas mitologias greco-romanas, ou ainda o deus natureza dos celtas, sempre foram tentativas do homem de entender Deus.
E hoje, como entendemos Deus?
Provavelmente as suas respostas e explicações acerca da Divindade estão pautadas em uma explicação doutrinária ou religiosa.
E é exatamente para isso que as religiões se estruturam: para nos ajudar a redescobrir Deus, Suas Leis, Seus desígnios e para Ele nos voltarmos.
Desta forma, podemos entender a religião não como um fim e sim um meio. O meio que encontramos para entender Deus e tê-Lo na nossa vida diária.
E, sendo a religião o meio que usamos para reencontrar Deus, é natural que cada um de nós tenha necessidade de um caminho que seja coerente e próprio em relação ao seu amadurecimento emocional, seus valores e conceitos.
Por isso, cada um de nós escolhe essa ou aquela escola religiosa, esse ou aquele caminho para chegar a Deus.
Porém, para Deus, todos os caminhos que levem a Ele são dignos de respeito. Toda doutrina, toda religião que nos torne melhores, é válida.
Além disso, devemos lembrar que a religião por si só não basta em nossa vida. Como também, para sermos pessoas de bem, a religião não é imprescindível.
Há inúmeras pessoas que, sem professarem nenhuma religião, têm uma vida de respeito ao próximo, de conduta ilibada, de retidão de caráter inquestionável.
E outras, apegadas a essa ou aquela escola religiosa, se mostram só preocupadas com a externalidade da religião, cuidando muito pouco do seu mundo íntimo.
Se a religião que escolhemos nos faz pessoas melhores, nos ajuda a entender as Leis de Deus, a nos entender e a entender ao próximo, essa é a melhor religião para nós.
Porém, se ainda nos vinculamos a uma religião, preocupados com o que os outros estão vendo ou pensando, somente para satisfazer vaidades ou expectativas nossas ou de outros, há que se repensar como estamos construindo nossa relação com Deus.
O mais significativo para nós deve ser perceber que a religião que adotamos é o meio que encontramos de construir a religiosidade em nós, do entendimento de Deus, respeitando o próximo nos caminhos que ele escolher para compreender Deus e trazê-Lo para dentro de si.

Redação do Momento Espírita.
Em 28.05.2010.
Conheça um pouco mais...