sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Time de Arquitetos da Copa...















Quase três semanas após sua primeira reunião em São Paulo, no dia 3 de junho, o fórum Time dos Arquitetos da Copa divulgou uma carta aberta, na qual exigem respeito aos projetos desenvolvidos para as futuras arenas e recomendam todo o empenho da sociedade e governantes para que os investimentos na Copa de 2014 sejam sustentáveis e tragam benefícios permanentes às cidades brasileiras.
O documento é assinado pelos arquitetos Alcyr Meira e César Meira (Belém), Gustavo Penna (Belo Horizonte), Eduardo de Castro Mello e Vicente de Castro Mello (Brasília e Rio de Janeiro), Carlos Arcos (Curitiba), Thiago Fortkamp (Florianópolis),
Ralf Amann ( Manaus), Antonio Paulo Cordeiro (Natal), Mauricio Santos, Fernando Balvedi e Gabriel Garcia (Porto Alegre), Daniel Fernandes (Recife), Múcio Jucá (Olinda/Recife), Antônio Saraiva (Rio de Janeiro), Marc Duwe, Class Schulitz e Mário Luis Colares Fagundes (Salvador), além do vice-presidente de arquitetura do Sinaenco, Leon Myssior.

Leia a íntegra da carta:

"O SINAENCO é o Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva, representando as empresas que prestam serviços de planejamento, estudos, planos, projetos, gerenciamento, supervisão técnica, inspeção e fiscalização de empreendimentos relativos à arquitetura e à engenharia.
Fiel à crença de que o planejamento sempre está por trás dos bons projetos, assegurando mecanismos de manutenção da qualidade e dos custos e prazos estimados, o SINAENCO vem se engajando nas preparações para a Copa de 2014 no Brasil, promovendo o debate e a integração do conhecimento de seus associados.
O dia 3 de junho ficará marcado como uma importante iniciativa para o sucesso da Copa de 2014 no Brasil ao realizar a primeira reunião do Time dos Arquitetos da Copa, iniciativa do que busca ser um espaço para a troca de experiências entre os arquitetos autores dos projetos das arenas esportivas para a Copa de 2014. Participaram do encontro mais de 15 arquitetos.
Estiveram presentes tanto autores de projetos das cidades escolhidas, como aqueles das que foram preteridas na disputa. O objetivo do encontro, que ocorrerá periodicamente, é o de proporcionar um espaço de debates qualificados sobre os principais problemas encontrados pelos arquitetos nos projetos das arenas esportivas, criar um ambiente propício para a troca de experiências sobre as melhores soluções de projeto e inovações tecnológicas para infraestrutura esportiva.
Os arquitetos integrantes do Time dos Arquitetos da Copa, reunidos para sua primeira reunião de trabalho, tornam público seu compromisso pela realização de projetos de estádios e demais espaços, públicos e privados, destinados à realização da Copa 2014 no Brasil, marcados pela sustentabilidade ambiental, econômica e social, que caracterizem um modelo de arquitetura e de construção positivos para nosso país.
Neste sentido, é importante que empreendedores públicos e privados estejam conscientes do caráter singular e único de cada projeto arquitetônico, que é fruto de conhecimentos multidisciplinares e necessita ser respeitado em sua totalidade, para preservar a integridade da proposta e evitar o desvirtuamento da arquitetura e, por decorrência, da sua eficiência funcional, social e urbana.
A qualidade da obra construída depende da qualidade do projeto arquitetônico e da obediência às suas soluções e especificações (de sistemas construtivos, de materiais e de equipamentos) pelos empreendedores, haja vista que “uma obra nunca é melhor que seu projeto”.
Assim, nós do Time dos Arquitetos da Copa alertamos: os projetos para os empreendimentos esportivos e de infraestrutura geral para a Copa 2014 devem ser escolhidos por sua concepção inovadora, pela percepção da essência e da cultura local e pela melhor técnica, nunca pelo menor preço.
Os arquitetos integrantes do Time dos Arquitetos da Copa vêm a público externar a sua visão, de que o legado da Copa de 2014 no Brasil seja - realmente - o alicerce de uma país mais desenvolvido, com melhor infraestrutura, empregos, distribuição de renda e justiça social, algo que não se consegue sem um planejamento de longo prazo, estudos de viabilidade econômico-financeira e ambiental.
O fórum manifesta de forma enfática sua preocupação de que este investimento – um conjunto de empreendimentos públicos e privados nas áreas de infraestrutura esportiva, de transportes, de hospedagem, hospitalar e turística, entre outras – não tenha como destino o ocaso após a Copa de 2014, monumentos da falta de visão e de planejamento.
A arquitetura brasileira, já detentora de muitos talentos, tem agora – também – o domínio e o conhecimento em projetos de infraestrutura esportiva e plenas condições de realizar “o melhor projeto da Copa 2014”, certo que somente com o respeito às concepções e especificações de seus projetos seja possível alcançar os objetivos desejados.

São Paulo, 18 de junho de 2009"

Fonte: Internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário