sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Museu do Caramulo - Portugal

Por Jason Vogel...


Tudo começou nos anos 20, quando o médico Jerónimo de Lacerda construiu um grande sanatório na região. Ainda não existiam antibióticos e o ar puro da serra era tratamento contra os bacilos da tuberculose.
Dr. Jerónimo morreu em 1945, deixando dois jovens filhos com a burra cheia de dinheiro. O primogênito, Abel, tornou-se colecionador de arte, dono de um acervo que tinha desde peças da Grécia antiga e louças da dinastia Ming até obras de Picasso.
Com a descoberta da estreptomicina, o sanatório entrou em decadência - daí a ideia de se construir o museu, para atrair turistas e salvar a economia da vila. Abel, contudo, não viveu para ver a obra pronta: morreu em 1957, quando seu carro foi atropelado por uma litorina.
No banco do carona estava o irmão de Abel. Era João de Lacerda, que resistiu aos ferimentos e tomou para si a tarefa de tocar a construção do museu de arte. A primeira ala foi inaugurada em 1960.


O irmão sobrevivente gostava de carros e aí é que a história começa a ficar de fato interessante - ao menos para quem curte porcas e parafusos.
Nos anos 50, João já era o que hoje conhecemos por "antigomobilista". Começou restaurando um Modelo T e, como tinha bom gosto e dinheiro de sobra, foi aumentando a coleção.
Daí para construir mais uma ala no museu e juntar carros antigos ao acervo de arte foi um pulo. Desde 1970, os automóveis (muitos deles cedidos por outros colecionadores) são parte oficial da exposição.

Leia mais...

Nenhum comentário:

Postar um comentário