segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Museu do Aço - São Paulo...

Perspectiva do Instituto Cultural e Educacional - Museu do Aço, projetado pelo escritório dr arquitetura FGMF, para ser construído na zona leste de São Paulo
Perspectiva do Instituto Cultural e Educacional - Museu do Aço, projetado pelo escritório dr arquitetura FGMF, para ser construído na zona leste de São Paulo
Foi apresentado em dezembro o projeto de um novo museu que será construído na Zona Leste de São Paulo. O Instituto Cultural e Educacional – Museu do Aço (ICEMA) inclui salas de aula, um teatro com capacidade para 500 pessoas, espaço de exposições temporárias, além do principal, o museu do aço. A iniciativa é do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (INDA), para comemorar seu 40º aniversário, em parceria com a pré-incorporadora imobiliária Mzero.

O escritório de arquitetura FGMF foi convidado para desenvolver o projeto que, além de um local que demonstra o aço em suas várias aplicações e formas, será um espaço cultural para a população. O prédio será construído em um terreno de 400 metros de comprimento, ao lado da estação Belém do metrô.

O prédio

Uma praça escavada serve de abrigo ao foyer do teatro, salas de aula, um café e espaços técnicos do complexo. Essa solução procura isolar essa área de convívio do intenso ruído vindo da avenida vizinha, muito movimentada. Sobre esse vazio -que simboliza as minas de onde é extraído o minério de ferro-, há uma enorme estrutura revestida de aço corten, como uma nuvem metálica, suspensa por hastes presas a uma estrutura periférica.
Os espaços internos, que podem ser parcialmente vistos por quem passa na rua, terão contornos irregulares e mezaninos soltos, interligados por rampas. Nos espaços entre a casca de aço e passarelas e mezaninos existirão instalações multimídia que discorrerão sobre a cadeia produtiva do aço e seu papel no dia a dia da sociedade.

A passarela que liga o metrô ao outro lado da avenida é refeita na proposta, e um novo braço sairá dela e aos poucos irá se transformando no museu, formando uma espécie de túnel suspenso de entrada. Na outra extremidade do museu, outra passarela liga a obra ao teatro e a um local de exposições temporárias deixando o fluxo interno do museu visível aos passantes.

O teatro será revestido com chapas negras de aço. Já a estrutura que sustenta o museu vai receber uma malha metálica inox que define as fronteiras da praça coberta e a protege da incidência direta do sol, permitindo uma iluminação natural mais controlada. A tela metálica, durante o dia, deixa o grande volume do museu ligeiramente enevoado. À noite, o efeito é contrário: iluminado, o museu vai se destacar na cidade, como uma escultura em uma via expressa e o conjunto todo como uma espécie de paisagem urbana reconstruída.

Nenhum comentário:

Postar um comentário